Vladimir Polízio



Aversões renascentes

16-05-2017

Não é raro constatarmos lares em desequilíbrio. As desavenças existentes, bem sabemos, são todas provenientes dos fluidos incompatíveis, os quais, se não forem convenientemente compreendidos e equilibrados, o ambiente em que se expressam se tornará um verdadeiro inferno.

Por ocasião da reencarnação, todos nós trazemos conosco deveres e obrigações junto das pessoas que deveremos atravessar o curso da existência, seja na condição, de esposo, esposa, filhos ou pais.

E a grande lei a que se vinculam esses graves problemas conduz cada indivíduo ao retorno à vida física, trazendo consigo esses sagrados compromissos que vão sendo revividos ao longo dos anos. Essa é uma das razões que nos levam a conhecer os mecanismos que controlam a hereditariedade e a convivência com as pessoas em sociedade, e que por isso mesmo acabam por constituir-se no grande teatro de operações na área da coexistência, que constatamos neste extenso campo de provas e expiações em que nos encontramos.

É Emmanuel quem nos orienta a respeito das desavenças familiares, através da psicografia enviada a Chico Xavier, com o nome de 'Aversões renascentes':

"Problema difícil na experiência humana, que unicamente o amor consegue resolver: a incompatibilidade quando surge entre os que foram chamados a viver sob o mesmo teto ou na mesma equipe familiar.

Vemo-los comumente nos filhos que se voltam contra os pais ou nos que se rebelam; nos irmãos que combatem os próprios irmãos; nos cônjuges que inesperadamente se afirmam uns contra os outros; ou nos parentes que não suportam os companheiros de consanguinidade.

Quando te vejas em semelhantes ocorrências de rejeição espiritual, pensa nos conflitos que voltam das existências passadas à maneira de sombras do ontem que se projetam no hoje, e dispõe-te à rearmonização, a fim de extinguir os focos de vibrações desequilibradas, capazes de gerar perigosos processos enfermiços.

A convivência induzida pelas tarefas em comum ou pelas obrigações do parentesco é a escola de reajustamento em cujo currículo de lições solicitaste a própria internação, antes do berço terrestre.

No lar ou no grupo de serviço, cada um de nós, ao tempo da encarnação, recolhe os laços mais nobres de afinidade e aqueles outros menos agradáveis, junto dos quais somos constantemente convidados a reaprender ensinamentos de compreensão e de amor.

Diante daqueles que te amam sem que ainda os ames, ou à frente daqueles outros aos quais amas sem que ainda te consigam amar, auxilia-os, procurando envolvê-los no silêncio da bondade e da simpatia.

Planta o bem que puderes, em beneficio deles, e ajuda-os a se realizarem no melhor que desejem, sem escravizá-los aos teus pontos de vista. E entrega-os a Deus, com sinceridade, porque Deus dissolverá toda maldição em socorro e transformará toda discórdia em união, abençoando e amparando a todos eles, tanto quanto abençoa e ampara a todos nós."




Vladimir Polízio
polizio@terra.com.br

Voltar para a página anterior / Voltar para a página principal