Vladimir Polízio



São muitas as restrições do espírito

19-12-2016

Quando ouvimos algo a respeito daqueles que já partiram, no sentido de terem total liberdade para volitarem de um lado a outro no ambiente terreno ou mesmo escreverem ou dizerem o que querem, é preciso ter muita cautela ao falar da expansão dessa liberdade.

O livre-arbítrio que os benfeitores se referem aos espíritos é amplo e disso não se tem a menor dúvida, mas com restrições, que vão de ambientes que pretendem visitar a personagens de outras esferas que desejariam ver. Há espaços e limites que lhes são destinados por permissão ou impedidos por razões óbvias, dentre as quais citam-se grau de elevação, comportamento, interdição temporária, confinamento para efeito de reajustes, etc...

Da mesma forma insere-se nesse contexto a disciplina de comunicação entre os planos físico e espiritual. Muitos ainda pensam que esse critério fica à disposição do próprio espírito, que se manifesta quando quiser. Quando quiser sim, mas a liberdade que existe é restrita para os espíritos e assistida, frequentemente, sem o que teríamos verdadeiras loucuras de interferências e informações, com prejuízo até de serem bem compreendidas.

As disciplinas e normas reguladoras de conduta que norteiam o mundo dos espíritos é eficiente a tal ponto que as interdições se fazem sentir àqueles que estão sujeitos às restrições. Como dissemos, não só há locais interditos. Há também, no mesmo ambiente onde a circulação é normal para grupos de espíritos, que estes, por questões de nível moral, não conseguem visualizar circulando em seu meio, espíritos superiores de outras esferas, os quais só se permitem materializar quando entendem que querem ou precisam ser vistos. Essa é a mesma condição e situação na Terra, cujos espíritos que conosco se encontram regularmente e invisíveis, permitem que sejam vistos por nós em situações especiais, a critério deles ou de superiores.

Para se ter clara idéia dessa condição habitual do espírito que se manifesta em reunião mediúnica, é só prestar atenção na comunicação em que se expressa. Quando este apresenta-se através do médium, demonstrando equilíbrio em suas palavras, fácil é observar que ele se reconhece e encontra-se acompanhado de orientador, que lidera grupos de espíritos para que possam participar desses trabalhos nas Casas Espíritas, como forma de auxiliá-los e fortalecê-los, pois ainda necessitam das pesadas vibrações da Terra.

Quando porém o espírito comunicante alega que viu a porta aberta e adentrou à sala ou salão, afirmando desconhecer o que ali se pratica, e muitas vezes nem sabendo direito o seu real estado, pela maneira de comportar-se, o dirigente da reunião já antevê seu precário estado psíquico, pela ausência de firmeza e noção geral do que lhe acontece.

O depoimento que segue é parte de uma psicografia recebida pelo médium Chico Xavier, cujo trecho aborda especificamente o apoio e controle exercido sobre quem ainda não detém a autossuficiência coerente com a pretensão:

"Não creiam que se possa escrever sem o conselho daqueles que nos orientam, se nem tudo, da própria Terra, não pode a criatura que escreve, expor numa carta, através da distância, é justo saibam que também nós, por aqui, não estamos numa sociedade sem regras e convenções respeitáveis.

Explicam mentores dignos que, se todos os nossos entes queridos estão destinados a conhecer os caminhos da experiência que atravessamos, não é necessário anteceder-nos, em sugestões e relatórios francamente desaconselháveis, de vez que as estradas de trânsito entre as duas vidas – a do Mundo Físico e a do Mundo Espiritual – diferem muito entre si."

Isso é natural que se conheça ou reconheça, pois, sendo a composição administrativa e social da Terra uma singela e pálida cópia por assim dizer, do que existe em outros planos fora do nosso ambiente físico, fácil será compreender o espírito reinante nos campos do respeito e do amor, onde a disciplina consciente, modus operandi natural, impera face à elevação moral, em cujos ambientes as restrições desaparecem.



Vladimir Polízio
polizio@terra.com.br

Voltar para a página anterior / Voltar para a página principal