Antônio Sávio de Resende - Tonhão



Esportes do Espírito

15-08-2018

Prezado amigo...

Em resposta à sua indagação sobre os esportes e a vida espiritual serei breve com alguns apontamentos.

As atividades esportivas, no campo do espírito, podem começar para qualquer um, na própria existência terrestre.

Exemplos...

Aí mesmo na Terra, ser-nos-á possível praticar a ginástica dos pensamentos nobres contra as tentações de ordem inferior, utilizando a barra do silêncio.

A corrida até os lares infelizes, disputando-se os primeiros lugares no auxílio aos irmãos em penúria.

O salto sobre as ofensas, com o esquecimento do mal.

A natação no suor do trabalho.

O xadrez da reflexão, a fim de que se aprenda a raciocinar para o concurso da solução dos problemas domésticos.

A disciplina sistemática para abstenção dos alcoólicos e similares.

A contribuição possível, ajustada com segurança ao cesto da beneficência.

O treinamento da respiração que nos obrigue à calma, de modo a que se evite o agravo de

discussões e antagonismos, onde estejamos.

O alpinismo do sacrifício para a conquista dos cimos da elevação.

Os remos do serviço que nos reequilibrem as próprias forças.

As excursões pacíficas que nos ensinem o endereço dos que sofrem, a fim de reconfortá-los.

A limpeza da própria moradia com as melhores notas de higiene.

Qual você poderá observar, aí estão algumas regras para a iniciação.

E não podemos esquecer o nosso futebol das boas ações.

Cada prestação de serviço ao próximo é um destaque a mais para o time a que você pertence.

Nessa base, temos diariamente as melhores oportunidades de exercício e competição.

É muito fácil reconhecer a nossa posição nos escores de qualquer um dos esportes do Espírito.

Se o assunto realmente nos interessa, todos os dias, ser-nos-á possível observar quem serve mais.

Da obra Fotos da vida, de Augusto Cezar, por Chico Xavier.


“Ninguém pode alegar insignificância ou desvalia para fugir aos deveres que lhe competem na obra de elevação do mundo. Não te consideres tão-somente pelo que és. Vejamo-nos em companhia do Cristo para que o Cristo esteja em nós. O zero à esquerda do número será sempre nada, mas à direita do algarismo é valor substancial, em ascensão crescente para o infinito.

Lembremo-nos de que Jesus é a Divina Unidade e situemos nossa existência à direita do Nosso Senhor e Mestre”.

Da obra Servidores do além, de Emmanuel, por Chico Xavier.


email’s: asavio921@uol.com.br; asavio@uaivip.com.br; asavio.fcvv@gmail.com; asavio13@uol.com.br



Voltar para a página anterior / Voltar para a página principal