Da Redação



"A vitória de um batalhador"

Oscar Polízio

19-5-2020

Aqueles que tem a oportunidade de ocupar um corpo neste mundo material, fazem-no com objetivos muito bem traçados, juntamente com o nosso Pai.

Alguns falham, outros conseguem cumprir boa parte dos compromissos, mas, poucos conseguem sobrepujar as maledicências do mundo, fazendo de suas passagens pela Terra, caminhos floridos e cheios de esperanças que os outros os seguirão na grande performance!

Quem somos nós para entendermos e concluirmos onde nos enquadramos?

Mas, alguém muito próximo de nós, muito acima de nós, fez a trajetória perfeita de amor, de dedicação, de alegria, de exemplos, de zelo pelo próximo, caritativo ao extremo... Fácil saber quem fez isso: O NOSSO GRANDE, SEMPRE EXEMPLAR OSWALDO CIONE POLÍZIO, O NOSSO TIO VADO!

A sua história dá uma narrativa perfeita para um grande livro, uma fantástica Casa de Virtudes!

Deus o quis bem mais perto Dele, sua Janda(1) o buscou bem juntinho com a sua mana querida e sempre lembrada, a Femita(2), e o que se pode querer mais?

Ele continua conosco, seu espírito está tranquilo: missão cumprida; a sua humildade não vai permitir que ele diga: “Fiz mais do que programei!”, mas nós sabemos que sim!


NOTA DE LIMIAR ESPÍRITA:

(1) Jandira Graziano Polízio, falecida em 16 de janeiro de 2019, com 100 anos foi esposa do Sr. Oswaldo e também trabalhadora assídua no campo da fraternidade.

(2) Apelido carinhoso de Eufêmia, falecida em 2001, irmã do Sr. Oswaldo.



“Jales perde Oswaldo Polízio, aos 104 anos

A morte de Oswaldo Polízio, aos 104 anos, hoje, dia 16 de maio, repercutiu na cidade onde sua trajetória profissional e social sempre se destacou e agora passa a ser uma referência para as novas gerações. Devido às restrições impostas pelas regras de recolhimento em função da Covid19, seu sepultamento aconteceu às 16h30, depois de ser velado no Lar Transitório São Francisco de Assis.

Oswaldo, com sua saudosa esposa Jandira Graziano Polízio (Dona Janda), teve uma vida preocupada em contribuir para com a melhoria das condições das pessoas, principalmente das crianças, a ponto de fundar, há 55 anos, o Lar Transitório São Francisco de Assis, onde atuou enquanto teve forças para se dedicar ao trabalho voltado para os assistidos e seus familiares.

O Lar, onde foram construídas 22 casas, chegou a atender 200 crianças e foi chamado de “Cidade dos Meninos” pelo diretor proprietário do Jornal de Jales, Deonel Rosa Júnior. O fato está registrado no fascículo 30 do “Projeto Memória”, editado pelo jornal, em junho de 1997. As atividades da instituição continuam até hoje, contando sempre com o apoio da comunidade para sua manutenção.

Oswaldo foi um topógrafo competente, mas ficou conhecido e respeitado como um exemplo de amor e dedicação às crianças, sem se descuidar de fazer o bem a todos, procurando ajudar principalmente os mais necessitados.

Ele chegou a Jales em 1965, vindo de Mirassol para planejar um loteamento em terras de Frederico Graziani, irmão da saudosa Dona Janda, com quem havia se casado em 1949.

Oswaldo deixa o filho Oswaldo Polizio Júnior, os netos Daniela, Neto e Heitor e o bisneto Antônio".


(transcrição de matéria publicada em jornal de Jales, em 16-5-2020).




Voltar para a página anterior / Voltar para a página principal