Deus espera por ti

(Maria Dolores)


Não digas, coração, que Deus não tem
Necessidade do teu abraço amigo,
Quando Deus ama, e anda contigo
Para a glória do bem!...
 
Contempla, em torno, a imensa caravana
De que vais, lado a lado,
E o caminho empedrado,
Em névoa espessa da tristeza humana...
 
Deus aguarda o alimento
Que ainda hoje te sobre
Para atender ao prato humilde e pobre
Dos irmãos em penúria e sofrimento.
 
Deus espera de ti, ainda agora talvez,
A roupa que largaste em desuso ou fastio
Para vestir quem sofre, a tiritar de frio,
Entre angústia e nudez...
 
Deus conta receber-te a dádiva sem nome
Que quase nada ou pouco expresse embora,
Para dar pão e leite à orfandade que chora
E esmorece de fome...
 
Deus te pede a bondade oculta e santa
A suportar, com Ele, as lutas do caminho,
Injusta, lodo, fel, vinagre e espinho,
Para que o bem de todos se garanta.
 
Deus espera por ti, para sanar o caos
Provocado onde pises
Pelos irmãos rebeldes e infelizes
Que chamamos por maus.
 
Deus te reclama a voz generosa e serena
Com que fales de paz, tolerância e perdão,
A fim de remover a escuridão
Da cólera em que o mundo se envenena...
 
Seja agora ou depois, seja aqui, seja ali,
Onde enxergues sinais da dor alheia,
Onde a esperança morre e onde a fé bruxuleia,
Deus precisa de ti!...
 
Por isso, quando o bem por ti se aperfeiçoe,
Embora o mal te fira, espanque, estrague,
Diz o irmão a que apóias: “Deus te pague!...
Deus te ajude e abençoe!...”
               

Da obra Poetas Redivivos, de Maria Dolores, pelo médium Francisco Cândido Xavier.

Enviado pelo nosso irmão Antônio Sávio de Resende – Tonhão - Email’s: asavio921@uol.com.br; asavio@uaivip.com.br; asavio01@uol.com.br; asavio07@uol.com.br; asavio08@uol.com.br; asavio13@uol.com.br; asavio14@uol.com.br; asavio20@uol.com.br



Voltar para a página anterior / Voltar para a página principal